terça-feira, 11 de agosto de 2009

... mas um MIS a altura de Burle Marx cabe

(imagem extraída da Internet)
Caso o Governo do Estado do Rio de Janeiro consiga cumprir com o que está propondo, o Museu da Imagem e do Som (MIS) será mais uma belíssima contribuição arquitetônica à cidade, com custo, inclusive, que considero adequado; visto que nossas últimas referências foram muito onerosas - A Cidade da Música, que apesar de ter tido o seu orçamento original em R$ 80 milhões, não chegou nem a finalizar sua obra em seus mais de R$ 430 milhões.

O projeto apresentado ontem, como o vencedor, é do escritório norte-americano Diller Scofidio e é inspirado nos calçadões criados por Burle Marx - melhor diálogo impossível.

Desta forma, os R$ 65 milhões para este projeto norte-americano do MIS, incluindo o valor da desapropriação, afronta o nababesco e faraônico legado do falecido ex-alcaide César Maia. Mas como tudo também é instável em se tratando de gestão pública e este assunto é muito recente; pode ser muito cedo para falar de promessas, palavras e ações.

Um comentário:

David Silva "Amen" disse...

Parabéns pelo Blog irmão....belo trabalho.

E sim, dali eles vão para as paredes....rsrs

Valeu pelos coments